INFORMAÇÕES > Notícias
10/04/17 - FETCESP
MUDANÇAS ESTRUTURAIS PARA O PAÍS AVANÇAR E CRESCER
Vivemos um momento singular no Brasil. Simultaneamente as operações policiais de combate à corrupção estão em debate às reformas da previdência e trabalhista. E agora já se fala de mudanças na área tributária. Com tais propostas estruturais, o governo dá sinais positivos ao mercado. Assim a confiança do empresariado e de investidores começa a aumentar.

A economia apresenta indicadores mais animadores para este ano, como a previsão de inflação abaixo da meta e de um PIB (Produto Interno Bruto) positivo, pequeno, mas significativo.

Estamos diante de um cenário mais promissor do que o registro nos últimos anos. Observamos um descolamento da política com a economia, ideal para a retomada do crescimento.

As discussões sobre as reformas devem avançar. Apesar de mexer com vários interesse, os legisladores precisam contribuir para a criação de um sistema mais equilibrado para todos.

Sabemos que as mudanças na previdência geram grande desconforto para alguns, mas são necessárias para alcançar o equilíbrio nas contas do governo e garantir novos avanços em outras áreas.

O projeto de lei da reforma trabalhista, por sua vez, traz a oportunidade do debate visando atualizar a legislação para uma maior segurança jurídica nesta área e assim preservar empresas e gerar empregos.

Sobre este tema o setor se posiciona no Congresso Nacional.

A forma como tais assuntos foram tratados ao longo dos anos, com constantes adiamentos de mudanças, não foi benéfica. Tivemos PIB negativo de mais de 9% nos últimos três anos, enquanto os serviços de transporte, armazenagem registraram queda de 7,1% em 2016. Estamos trabalhando com os efeitos perversos destes indicadores, um momento muito delicado para o setor que é o primeiro a sofrer com a retração nos negócios. Aliado a isso, convivemos com uma legislação trabalhista complexa e desatualizada que tem provocado avalanches de processos, enquanto o judiciário, em muitos casos, atua de forma paternalista com decisões que inviabilizam a atividade empresarial.

O governo começa a falar em reforma tributária e estamos atentos às propostas que virão para participarmos dos debates. Não podemos aceitar o aumento da carga tributária, já tão elevada no transporte.

O Brasil precisa ser passado a limpo, com punições aos que cometem crimes e debatendo temas polêmicos, mas vitais para o crescimento econômico do país.